Engenharia Mackenzie é tetracampeã do Paulista Universitário

Engenharia e Direito fizeram um duelo digno de final na Arena Paulista nesse sábado. A longa rivalidade mackenzista, as melhores campanhas do campeonato, uma reação incrível, todos os ingredientes para uma partida memorável, que terminou com o tetracampeonato dos futuros engenheiros em jogo cheio de alternativas.

Os atuais campeões começaram fulminantes e davam a impressão que teriam uma vitória fácil pela frente, com Vini embolando ainda mais a briga de trymen ao anotar o primeiro try da partida com cinco minutos de jogo e Canadá ampliando aos 12′ em bela sequência pela direita, mergulhando na ponta sob muita pressão. Os engenheiros mantinham domínio da posse de bola e o Direito pouco conseguia subir, sendo sempre contido em suas investidas sem ameaçar o ingoal adversário. Aos 18′ foi a vez do pilar Emir guardar o seu, em jogada ensaiada desde o lineout que deixou a defesa dos Javalis sem ação, furando pelo meio da linha e o veterano George “Yogui” completou o quarto try com pouco mais de quinze minutos por jogar.

O treinador Matias Menutti fez duas alterações que mudaram completamente a cara do Direito, com a entrada do veterano Gabriel “Batman” e Carlão, reforçando o pack do Direito e o time ganhou muito em ofensividade, anotando os seus primeiros pontos com Nicolas em penal na primeira subida com perigo dos advogados. Os pontos no placar deram novo ânimo para a equipe que dominou o restante da etapa, se aproveitando das seguidas penalidades cometidas pelo adversário para ganhar terreno e criar novas chances, culminando no try de Gabriel nos minutos finais da etapa em bela assistência de Carlão. O Direito estava vivo na partida e queria mais.

A etapa final começou na mesma nota do final do primeiro tempo, com os Javalis dominando as ações da partida e mantendo o jogo dentro dos 22m de seu campo de ataque. Foram quase dez minutos ininterruptos nos 5m finais, com lines, scrums e um forte jogo de fases sempre neutralizados pelos engenheiros, mas a insistência deu resultado e Rubens finalmente conseguiu furar o bloqueio adversário e mergulhar no ingoal para incendiar de vez a partida, com mais de 20 minutos por jogar. A indisciplina da Engenharia seguia custando caro, com seguidos penais matando seu próprio ataque em diversas oportunidades e também na defesa, permitia ao Direito se aproximar novamente da meta e concretizar uma virada que se desenhava com contornos épicos, mantendo a torcida da Engenharia cada vez mais apreensiva e a do Direito cada vez mais animada.

O momento era cada vez mais perigoso mas a Engenharia soube voltar a nivelar as ações da partida em momento crítico e quase ampliou com Emir, mas uma infração no lance anterior manteve o placar inalterado. A entrada de Gabriel “Pão” também trouxe mais dificuldades para a defesa do Direito, tanto nos scrums quanto no jogo aberto e criou os espaços que a equipe precisava para habilitar Rodrigão na direita para apoiar mais um try, ampliando para três posses de bola a vantagem com pouco mais de dez minutos por jogar.

O tempo se tornava um adversário cada vez mais mortal e o Direito sabia disso, se lançando ao ataque com tudo para manter a partida em aberto. Com a exclusão de Andrei aos 35′, os advogados tiveram uma vantagem numérica importante e Rubens conseguiu seu segundo try. A sucessão de infrações puniu os Engenheiros com mais um cartão amarelo e uma expulsão no minuto final, mas não havia tempo para a virada. No melhor jogo do Universitário, a Engenharia Mackenzie se sagrava tetracampeã estadual e o triunfo foi muito valorizado pelo espírito de luta do Direito.

O título encerra um ciclo incrível da Engenharia, com quatro títulos nos últimos dois anos, sendo dois universitários, Desenvolvimento e Série C. Em 2018, o nível vai subir e exigir mais do time. O Direito celebra uma ótima temporada e chegou mais uma vez perto do título, mas a qualidade de jogo demonstrada mostrou que o time tem condições de buscar mais na próxima temporada.

Na disputa de terceiro lugar, a Mauá conseguiu sua revancha diante da UNIP após derrota na fase de classificação e conquistou uma suada vitória por 24 a 19, fechando o pódio de 2017.

Placar final: Engenharia Mackenzie (24) 31 X 20 (10) Direito Mackenzie

Engenharia Mackenzie
Tries: Vinícius Xavier, Canadá, Emir, George “Yogui”, Rodrigão
Conversões: Josué Benatti (3)

Direito Mackenzie
Tries: Gabriel “Batman”, Rubens (2)
Conversões: João Rossi
Penais: Nicolas Mohor